Curso Objetivo

Login ou senha incorretos
0800 77 00 189                  

FUVEST 2023 – Segundo dia de prova na 2ª fase do vestibular FUVEST 2023 tem 8,05% de abstenções


09/01/2023
Fundação Universitária para o Vestibular

A prova de disciplinas específicas aplicada nessa segunda-feira (9) no segundo dia da 2ª fase do Concurso Vestibular FUVEST 2023 contou com 2.426 abstenções entre os 30.155 candidatos convocados, um total de 8,05%.

Confira as abstenções por cidade:

Cidade candidatos ausentes 2º dia abstenção 2º dia
São Paulo 13990 1104 7,89%
Osasco 821 52 6,33%
Barueri 574 53 9,23%
Guarulhos 674 64 9,50%
Mogi das Cruzes 564 41 7,27%
Santo André 1030 95 9,22%
São Bernardo do Campo 557 45 8,08%
Sorocaba 646 60 9,29%
Campinas 2008 152 7,57%
Jundiaí 657 56 8,52%
São José dos Campos 932 92 9,87%
Piracicaba 855 56 6,55%
Limeira 414 26 6,28%
Santos 454 35 7,71%
Lorena 326 24 7,36%
Presidente Prudente 171 14 8,19%
Araçatuba 179 13 7,26%
Bauru 1057 108 10,22%
São Carlos 810 56 6,91%
São José do Rio Preto 508 36 7,09%
Pirassununga 334 24 7,19%
Ribeirão Preto 2324 197 8,48%
Franca 270 23 8,52%
Total 30155 2426 8,05%

Prova de Disciplinas específicas:

O segundo dia do vestibular FUVEST 2023 contou com provas de conhecimentos específicos, que variam conforme a carreira escolhida pelo candidato.

Com questões de Matemática, Física, Química, Biologia, Geografia e História, foram abordados tanto conhecimentos básicos quanto problemas conectados a situações atuais. A Biologia trouxe questões relativas aos biomas brasileiros e à qualidade alimentar. Ainda nessa linha, a Geografia trouxe reflexões sobre segurança alimentar, questões relativas ao clima e ao problema ambiental causado pelos microplásticos.

A Física abordou o funcionamento da ótica do telescópio James Webb e os resultados de uma pesquisa brasileira recente sobre buracos negros. A norma NBR 9077, que regulamenta as dimensões de uma escada, foi objeto de questão da Matemática, entre outros temas já bem estabelecidos no vestibular.

A Química discutiu a necessidade de se pensar em novas formas de garantir a oferta de fertilizantes no mundo, de forma que fiquemos menos suscetíveis a guerras ou questões políticas. Por fim, a prova de História trouxe desde o movimento cultural Tropicália, dos anos 1960, até a colonização portuguesa no Congo.

Fonte: FUVEST